MEDALHA DE OURO PARA A SAÚDE – O pódio das frutas


MEDALHA DE OURO PARA A SAÚDE

O açucar mais saudável está no doce sabor das frutas

O pódio das frutas

As mais energéticas: açaí (495 kcal em 1 tigela pequena), abacate (235 kcal em 1/2 unidades), caqui (90 kcal por unidade) e figo (90 kcal por 3 unidades)

As menos energéticas: melão (20 kcal em 1 fatia) e pêssego (25 kcal em 1 unidade)

As mais ricas em fibras: açaí (35 g em uma tigela pequena) e goiaba (10 g em 1 unidade)

As mais ricas em carotenóides: manga (3600 mcg em 1 unidade), caqui (1800 mcg em 1 unidade)

As mais ricas em vitamina E: abacate (230 mg em 1/2 unidade), açaí (90 mg em 1 tigela pequena)

As mais ricas em potássio: banana (350 mg em 1 unidade) e uva (296 mg em 1 xícara)

As mais ricas em vitamina C: goiaba (370 mg em 1 unidade) e morango (110 mg em 1 xícara)

As mais ricas em cálcio: açaí (236 mg em 1 tigela pequena) e tangerina (40 mg em 1 unidade)

As mais ricas em magnésio: abacate (100 mg em 1/2 unidade) e banana (30 mg em 1 unidade)

As mais ricas em ferro: açaí (25 mg em 1 tigela pequena) e amora (5 mg em 1 copo médio)

Frutas para esportistas

Os esportistas estão sujeitos a algumas condições que podem ser prevenidas e aliviadas com as frutas:

Anemia: açaí, amora, carambola

Artrite: abacaxi, ameixa e maçã

Cãibras musculares: banana, laranja e melão

Diarréia: maçã sem casca e banana-maçã

Digestão pesada: combinar as refeições pesadas com o abacaxi

Prisão de ventre: maçã com casca, ameixa e figo

Fadiga: banana, uva e figo

Retenção de líquidos: a maioria das frutas, por possuir potássio, pode provocar maior perda de líquido.

Baixar o colesterol: maçã, pêra, abacaxi e pêssego

Ameixa, tônico antiestresse

Contém alta quantidade de fibra sorbitol que estimulam o movimento intestinal e favorecem a evacuação. Dependendo da coloração da fruta, a quantidade de vitaminas que possuem pode variar: as claras são as mais doces e ricas em carotenos, e as com coloração escura contêm mais ferro. Sua riqueza em vitaminas B e C torna essa fruta uma aliada contra o estresse e o suco de ameixa alivia a gota, o reumatismo, a artrite e problemas articulares.

Damasco, a fruta da pele

Tem alto teor de caroteno (provitamina A), vitamina que previne o câncer, regenera os tecidos, e favorece o bronzeado. É rica em ferro, magnésio, potássio, zinco e vitaminas B1, B2 e C. Um verdadeiro coquetel contra a fadiga. E só tem 47 kcal.

Figo, para os ossos

Tem cálcio, por isso, é recomendado para esportistas e ajuda a prevenir a osteoporose. Contém benzaldeido, um agente anticancerígeno, flavonóides e uma enzima chamada ficina que ajuda a digestão das proteínas. Além disso, possui ferro, potássio e fibra. As avós utilizavam o látex branco (líquido que sai da planta ao ser cortada) para eliminar as verrugas. Na ásia, o figo é considerado um afrodisíaco natural.

Maçã, o presente de Eva a saúde

Ela é rica em fibra solúvel, regula o colesterol, protege o coração e equilíbra a função intestinal, tanto no caso de diarréia como de prisão de ventre. Contém vitamina C, potássio e é hidratante.

Banana,a barrinha energética

É o alimento dos campeões. Uma comida rápida, ideal para recarregar as energias. Quanto menos maduras, mais ricas em amido. A banana previne as cãibras musculares por sua riqueza em potássio. Também tem magnésio e vitamina B6, vital para levantar seu ânimo e ajudar no metabolismo do corpo.

Melão, o diurético mais natural

É típico das frutas de verão. É rica em potássio (diurético), betacaroteno, vitaminas e com poucas calorias. Quanto mais amarelo o melão, maior é a quantidade de carotenos – responsáveis pelo cuidado de sua pele, melhorando também o seu bronzeado. É considerada uma fruta anticoagulante e um aliado na prevenção de trombose e infartes.

Pêssego, a fruta saborosa

Rica em vitamina C e potássio. Regula o intestino, pois é rico em fibras. Tem baixo teor calórico.

Açaí, o pentacampeão

Esta frutinha amazônica, muito badalada entre os esportivas, sem dúvida nenhuma é pura energia! Rico em vitamina E, o açaí pode ser considerado um poderoso antioxidante. Além de ser rico em cálcio e ferro, que auxiliam na efetiva contração muscular. O alto teor de fibras pode ser ainda maior quando na tigela de açaí vai granola misturada.

Nectarina, o pêssego de pele suave

É uma fruta muito parecida com o pêssego. Contém provitamina A, vitamina B3, ácido fólico, potássio e fibra. Ajuda a regular o colesterol.

Pêra, para refrescar

A pêra é uma fruta que deve ser ingerida madura. É rica em pectina, fibra que regula o intestino melhorando a flora intestinal; contém minerais como o selénio (antioxidante), zinco (aumenta a imunidade) e potássio (diurético e hipotensor). Para os esportistas é uma fruta muito completa.

Abacaxi, para digestão

A cozinha oriental combina pratos com carnes e abacaxi porque favorece a digestão das proteínas. Essa fruta tem uma enzima chamada bromelina. É rica em vitamina C.

Melancia,menos calorias

Se seus problemas são os quilinhos a mais, encha sua geladeira de melancia . Você vai poder comer quantos pedaços quiser, pois é a fruta que tem menos calorias (18 kcal/100 g). É rica em água, fibra , potássio (diurético), vitaminas A, B6 e C e magnésio.

Uva, limpa seu corpo das toxinas

Uma das frutas que trazem mais benefícios para a saúde. É remineralizante, diurética, depurativa, energética. Contém taninos adstringentes, polifenois, resverastrol (principalmente nas uvas escuras) e substâncias com capacidade antitumoral. Uma alimentação rica em uvas garante boa saúde e limpa seu organismo de toxinas.

 

 

 

COMO CONTROLAR O ESTRESSE…


 

COMO CONTROLAR O ESTRESSE…

Em uma conferência, ao explicar para a plateia a forma de controlar o estresse, o palestrante levantou um copo com água e perguntou:
-“Qual o peso deste copo d’água? ”
As respostas variaram de 250g a 700g. e O palestrante, então, disse:
– “O peso real não importa. Isso depende de por quanto tempo você segurar o copo levantado. Se o copo for mantido levantado durante um minuto, isso não é um problema. Se eu o mantenho levantado por uma hora, vou acabar com dor no braço. Mas se eu ficar segurando um dia inteiro, provavelmente eu vou ter cãibras dolorosas e vocês terão de chamar uma ambulância. E isso acontece também com o estresse e a forma como o estresse controlamos. Se você carrega a sua carga por longos períodos, ou o tempo todo, cedo ou tarde a carga vai começar a ficar incrivelmente pesada e, finalmente, você não será mais capaz de carregá-la.
Para que o copo de água não fique pesado demais, você precisa colocá-lo sobre alguma coisa de vez em quando e descansar antes de pegá-lo novamente. Com nossa carga acontece o mesmo. Quando estamos refrescados e descansados, nós podemos novamente transportar nossa carga.
Em seguida, ele distribuiu um folheto contendo algumas formas de administrar as cargas da vida:
* Aceite que há dias em que você é o pombo e outros em que você é a estátua.
* Mantenha sempre suas palavras leves e doces, pois pode acontecer de você precisar engolir todas elas.
* Dirija com cuidado. Não só os carros apresentam defeitos e têm recall do fabricante.
* Se você emprestar R$ 200,00 para alguém e nunca mais vir essa pessoa, provavelmente valeu a pena pagar esse preço para se livrar dela.
* Pode ser que o único propósito da sua vida seja servir de exemplo para os outros.
* Nunca compre nada que você não possa manter.
* Quando você tenta pular obstáculos, lembre-se que está com os dois pés no ar e sem nenhum apoio.
* Ninguém se importa se você consegue dançar bem. Para participar e se divertir no baile, levante e dance, pronto.
* Uma vez que a minhoca madrugadora é a que é devorada pelo pássaro, durma até mais tarde sempre que puder.
* Lembre que é o segundo rato que come o queijo – o primeiro fica preso na ratoeira. Saiba esperar.
* Quando tudo parece estar vindo na sua direção, provavelmente você está no lado errado da estrada.
* Aniversários são bons para você. Quanto mais você tem, mais tempo você vive.
* Alguns erros são divertidos demais para serem cometidos só uma vez.
* Podemos aprender muito com uma caixa de lápis de cor. Alguns têm pontas aguçadas, alguns têm formas bonitas e alguns são sem graça. Alguns têm nomes estranhos e todos são de cores diferentes, mas todos são lápis e precisam viver na mesma caixa.
* Não perca tempo odiando alguém, remoendo ofensas e pensando em vingança. Enquanto você faz isso a pessoa está vivendo bem feliz e você é quem se sente mal e tem o gosto amargo na boca.
* Quanto mais alta é a montanha, mais difícil é a escalada. Poucos conseguem chegar ao topo, mas são eles que admiram a paisagem do alto e fazem as fotos que você admira dizendo “queria ter estado lá”.
* Uma pessoa realmente feliz é aquela que segue devagar pela estrada da vida, desfrutando o cenário, parando nos pontos mais interessantes e descobrindo atalhos para lugares maravilhosos que poucos conhecem.


Portanto, antes de voltar para casa, deposite sua carga de trabalho no chão.

Não a carregue para casa.

Você pode voltar a pegá-la amanhã.

Com tranquilidade.

Unir-se é um Bom Começo… Saber Cultivar a União é uma Conquista… Trabalhar em Conjunto é uma VITÓRIA !

 

ALZHEIMER – MÃO ESQUERDA


 

ALZHEIMER – MÃO ESQUERDA

 

 

Sobre o Alzheimer, vale a pena ler mesmo que você não tenha este problema na família.

Obs: Roberto Goldkorn é psicólogo e escritor.

Meu pai está com Alzheimer. Logo ele, que durante toda vida se dizia o Infalível’. Logo ele, que um dia, ao tentar me ensinar matemática, disse que as minhas orelhas eram tão grandes que batiam no teto. Logo ele que repetiu, ao longo desses 54 anos de convivência, o nome do músculo do pescoço que aprendeu quando tinha treze anos e que nunca mais esqueceu: esternocleidomastóideo.

O diagnóstico médico ainda não é conclusivo, mas, para mim, basta saber que ele esquece o meu nome, mal anda, toma líquidos de canudinho, não consegue terminar uma frase, nem controla mais suas funções fisiológicas, e tem os famosos delírios paranóicos comuns nas demências tipo Alzheimer.

Aliás, fico até mais tranqüilo diante do ‘eu não sei ao certo’ dos médicos; prefiro isso ao ‘estou absolutamente certo de que….’, frase que me dá arrepios.

E o que fazer… para evitarmos essas drogas?

Como?

Lendo muito, escrevendo, buscando a clareza das idéias, criando novos circuitos neurais que venham a substituir os afetados pela idade e pela vida ‘bandida’.

Meu conselho: é para vocês não serem infalíveis como o meu pobre pai; não cheguem ao topo, nunca, pois dali só há um caminho: descer.

Inventem novos desafios, façam palavras cruzadas, forcem a memória, não só com drogas (não nego a sua eficácia, principalmente as nootrópicas), mas correndo atrás dos vazios e lapsos.

Eu não sossego enquanto não lembro do nome de algum velho conhecido, ou de uma localidade onde estive há trinta anos… Leiam e se empenhem em entender o que está escrito, e aprendam outra língua, mesmo aos sessenta anos.

Coloquem a palavra FELICIDADE no topo da sua lista de prioridades: 7 de cada 10 doentes nunca ligaram para essas ‘bobagens’ e viveram vidas medíocres e infelizes – muitos nem mesmo tinham consciência disso.

Mantenha-se interessado no mundo, nas pessoas, no futuro. Invente novas receitas, experimente (não gosta de ir para a cozinha?

Hum… Preocupante). Lute, lute sempre, por uma causa, por um ideal, pela felicidade. Parodiando Maiakovski, que disse ‘melhor morrer de vodca do que de tédio’, eu digo: melhor morrer lutando o bom combate do que ter a personalidade roubada pelo Alzheimer.

 

Dicas para escapar do Alzheimer:

Uma descoberta dentro da Neurociência vem revelar que o cérebro mantém a capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões.

Os autores desta descoberta, Lawrence Katz e Manning Rubin (2000), revelam que NEURÓBICA, a ‘aeróbica dos neurônios’, é uma nova forma de exercício cerebral projetada para manter o cérebro ágil e saudável, criando novos e diferentes padrões de atividades dos neurônios em seu cérebro. Cerca de 80% do nosso dia-a-dia é ocupado por rotinas que, apesar de terem a vantagem de reduzir o esforço intelectual, escondem um efeito perverso; limitam o cérebro.

Para contrariar essa tendência, é necessário praticar exercícios ‘cerebrais’ que fazem as pessoas pensarem somente no que estão fazendo, concentrando-se na tarefa. O desafio da NEURÓBICA é fazer tudo aquilo que contraria as rotinas, obrigando o cérebro a um trabalho adicional. Tente fazer um teste:

– use o relógio de pulso no braço contrário;

– escove os dentes com a mão contrária da de costume;

– ande pela casa de trás para frente; (vi na China o pessoal treinando isso num parque);

– vista-se de olhos fechados;

– estimule o paladar, coma coisas diferentes;

– veja fotos de cabeça para baixo;

– veja as horas num espelho;

– faça um novo caminho para ir ao trabalho.

A proposta é mudar o comportamento rotineiro!

Tente, faça alguma coisa diferente com seu outro lado e estimule o seu cérebro. Vale a pena tentar!

Que tal começar a praticar agora, trocando o mouse de lado?

Que tal começar agora enviando esta mensagem, usando o mouse com a mão esquerda?

FAÇA ESTE TESTE E PASSE ADIANTE PARA SEUS (SUAS) AMIGOS (AS).

‘Critique menos, trabalhe mais. E, não se esqueça nunca de agradecer!’

Sucesso para você!!!

 

A cada 1 minuto de tristeza perdemos a oportunidade de sermos felizes por 60 segundos.

Obs.: Esta mensagem me foi enviada com a mão esquerda.  Também estou te enviando com a mão esquerda.

 

Bananas


BANANAS!

VAMOS ABUSAR DESTE PRODUTO

Nunca coloque sua banana na     geladeira!

 

Isso é interessante.
Depois de ler isto, você nunca vai olhar para     uma banana da mesma maneira novamente.

A banana contém três     açúcares naturais – sacarose, frutose e glicose, combinados com fibra. A     banana dá uma instantânea e substancial elevação da energia.
Pesquisas provam que apenas duas bananas fornecem energia suficiente para um treino     de 90 minutos extenuantes. Não é à toa que a banana é a fruta número um dos     maiores atletas do mundo.
Mas energia não é a única forma de uma banana     poder nos ajudar a manter a forma. Pode também nos ajudar a curar ou     prevenir um grande número de doenças. Tornando-se     uma obrigação adicionar a banana à nossa dieta diária.

Depressão: De acordo com recente pesquisa     realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, as pessoas se     sentiam melhores após ter comido uma banana. Isto porque a banana contém triptofano, um tipo de proteína que o     corpo converte em seratonina, reconhecida por relaxar, melhorar o seu humor     e, geralmente, fazem você se sentir mais feliz.

TPM Esqueça as pílulas – coma uma banana. A vitamina B6 regula os níveis     de glicose no sangue, que podem afetar seu humor.

Anemia:     contendo muito ferro, bananas estimulam a     produção de hemoglobina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Pressão Arterial: Este fruto tropical é muito rico     em potássio, mas reduzido em sódio, tornando-a perfeita     para combater a pressão alta. Tanto é assim, que a Food and Drug     Administration nos Estados Unidos, permitiu que a indústria da banana     oficialmente informasse ao publico, que ao comer essa fruta, ela poderá     reduzir o risco de pressão alta e infarto.

Cérebro: 200 estudantes da escola     Twickenham na Inglaterra tiveram ajuda nos exames este ano, comendo bananas     no café da manhã, lanche e no almoço numa tentativa

de     elevar sua capacidade mental. A pesquisa mostrou que o elevado teor de     potássio na banana, pode ajudar a aprendizagem, tornando os alunos mais     alertas.

Constipação: com elevado teor de fibra,     incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais,     ajudando a superar o problema sem recorrer a laxantes.

Ressaca: uma das formas mais rápidas     de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana,     adoçado com mel. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel aumenta     os níveis de açúcar no sangue, enquanto o leite suaviza e reidrata o     sistema.


Azia: elas têm efeito antiácido natural     no organismo, por isso, se você sofre de azia, experimente comer uma banana     para aliviar.

Enjôo matinal:     comer uma banana entre as refeições     ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Picadas de mosquito: antes do creme para picada de     inseto, experimente esfregar a zona afetada com a parte interna da casca da     banana. Muitas pessoas acham excelentes para reduzir o inchaço e a     irritação.

Nervos: Bananas são ricas em     vitaminas do complexo B que ajuda a acalmar o sistema nervoso.

Excesso de peso e no trabalho? Estudos do     Instituto de Psicologia na Áustria mostram que a pressão no trabalho leva à     excessiva ingestão de alimentos como chocolate e biscoitos. Estudando 5000     pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os mais     obesos eram os que mais sofriam de pressão alta e ataques de ansiedade. O relatório desse estudo,     concluiu que: para evitar que comamos biscoitos e doces quando estamos     ansiosos, então é necessário que se coma alimentos ricos em carboidratos a     cada duas horas para manter níveis estáveis de açúcar no sangue, e é aí que     entra a nossa querida banana.

Úlceras: A banana é usada na dieta     diária     contra desordens intestinais pela sua textura macia e suavidade. É a única     fruta crua que pode ser comida sem desgaste em casos de úlcera crônica.     Também neutraliza a acidez e reduz a irritação, protegendo as paredes do     estômago.

Controle de temperatura: Muitas culturas vêem a banana     como fruta ‘refrescante’, que pode reduzir tanto a temperatura física como     emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas     comem bananas para os bebês nascerem com temperatura baixa.

Seasonal Affective Disorder (SAD): a banana auxilia os que sofrem     SAD, porque contêm a vitamina B6 e Triptofano, que nos acalma e nos faz     ficar bem humorados.

Fumar e Uso do Tabaco: As bananas podem ajudar as     pessoas que tentam deixar de fumar. Vitaminas – A, B6 e     B12, assim como o potássio e magnésio, ajudam o corpo a recuperar dos     efeitos da retirada da nicotina.

Stress: O potássio é um mineral     vital, que ajuda a normalizar os batimentos     cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regula o equilíbrio de água no     corpo.     Quando estamos estressados, nossa taxa metabólica se eleva, reduzindo os     níveis de potássio que podem ser reequilibrado com a ajuda da banana, que é     rica em potássio.

Enfarto: de acordo com pesquisa publicado     no New England Journal of Medicine, comer bananas como parte de uma dieta     regular, pode reduzir o risco de morte por enfarto em até 40%!

Verrugas: os interessados em     alternativas naturais juram que se quiser eliminar     verrugas, pegar um pedaço de casca de banana e colocá-lo sobre a verruga,     com o lado amarelo para fora. Segure cuidadosamente a casca no local com     esparadrapo!

Assim, a banana é um remédio natural     para muitos males. Quando você compará-lo com uma maçã, tem quatro vezes     mais proteínas, duas vezes mais carboidratos, três vezes mais fósforo,     cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e     minerais. Também é rica em potássio e é um dos alimentos mais valiosos para     nossa saúde. Então talvez seja hora de mudar essa frase em inglês, tão     conhecida: 1 apple a day, keep the doctor away, e que nós traduzindo     deveríamos usar: “Uma banana por dia mantém o doutor sem freguesia!”    


PS: Bananas devem ser a razão pela     qual os macacos são tão felizes o tempo todo! Vou acrescentar uma dica     aqui; quer um brilho rápido nos sapatos? Pegue a parte de DENTRO da casca     da banana e esfregue diretamente sobre o sapato… Passe após, um pano seco.     Fruto incrível!

Cloreto de Magnésio – Pe. Benno J. Shorr


Cloreto de Magnésio

OLÁ AMIGOS, EU CONFIRMO A INDICAÇÃO ABAIXO DO MAGNÉSIO, ELE FAZ PARTE DE MAIS DE 300 REAÇÕES QUIMICAS DO CORPO, CONFORME EXPUS EM MINHA ENTREVISTA NA TV DE ITAPETININGA SOBRE A ORTOMOLECULAR E A CORREÇÃO DOS MINERAIS.
FAVOR REPASSAR ÀS PESSOAS NECESSITADAS, POIS É MUITO FÁCIL DE USAR E MUITO BARATO, SEM NECESSIDADE DE GASTOS ABSURDOS COM TRATAMENTOS PALIATIVOS MÉDICOS!!!
ATENCIOSAMENTE,
TERAPEUTA EZILDA
ORTOMOLECULAR

Quem sofre de bico de papagaio, nervo ciático, coluna e calcificação pode se curar de forma perfeita, indolor, fácil e barata. E tem, ao mesmo tempo, a cura de todas as doenças causadas pela carência de cloreto de magnésio no passado, até a artrose.
Pe. Benno J. Shorr – padre jesuíta, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina.

Minha cura: Iniciei minha cura aos 61 anos. Dez anos antes, eu estava quase paralítico, sentia pontadas agudas na região lombar – um bico de papagaio incurável, segundo o médico. Após cinco anos, o peso virou dor e, apesar de todos os tratamentos, a dor só aumentava.
Sem tardar, voltei a Florianópolis com novas radiografias e procurei um especialista. Agora já era um bando de bicos de papagaios, calcificados, duros em grau avançado.
Nada se poderia fazer. As dez aplicações de ondas curtas e distensões da coluna não detiveram a dor, a ponto de nem mais deitado eu poder dormir. Ficava sentado, até quase cair da cadeira, de tanto sono.
Providencialmente, fui ao Encontro dos Jesuítas Cientistas, em Porto Alegre e o Padre Suarez me disse ser fácil à cura com cloreto de magnésio, mostrando-me o pequeno livro do Padre Puig, jesuíta espanhol que descobriu o uso do cloreto de magnésio: sua mão era dura de tão calcificada, mas, com este sal, ficou móvel como a de uma menina; o mesmo aconteceu com parentes seus. E brincando, ele disse: “Com este sal só se morre dando um tiro na cabeça ou por acidente”.
Em Florianópolis, logo comecei a tomar uma dose pela manhã e uma à noite; mesmo assim continuei dormindo encolhido até o 20º dia; naquela manhã, porém, acordei estirado na casa, sem dor. Mas caminhar ainda era um sofrimento. Depois de 30 dias, eu me levantei sentindo-me estranho: “Será que estou sonhando? ”
Nada mais me doía! Dei até uma voltinha pela cidade, sentindo, contudo, o peso de 10 anos antes. Aos 40 dias caminhei o dia inteiro sentindo menos peso; três meses depois minha flexibilidade aumentava. Dez meses já se passaram e me dobro quase como uma cobra.

Outros efeitos: O cloreto de magnésio arranca o cálcio dos lugares indevidos e o fixa solidamente nos ossos.

Ainda mais: minha pulsação que sempre estava abaixo de 40 – eu já pensava em marca passo – normalizou-se. O sistema nervoso ficou motorialmente calmo, ganhei maior lucidez, meu sangue estava descalcificado e fluido.
As freqüentes pontadas do fígado desapareceram. A próstata, que eu deveria operar assim que tivesse uma folga nos trabalhos, já não me incomoda muito. Houve ainda outros efeitos, a ponto de várias pessoas me perguntarem:
-“O que está acontecendo com você? Está mais jovem! ”
– “É isso mesmo”.
Voltou-me a alegria de viver. Por isso, me vejo na obrigação de repartir o “jeitinho” que o bom Deus me deu. Centenas se curaram em Santa Catarina depois de anos de sofrimento com males da coluna, artrose etc.

Importância do cloreto de magnésio: O cloreto de magnésio produz o equilíbrio mineral, anima os órgãos em suas funções (catalisadoras), como os rins, para eliminar o ácido úrico nas artroses; descalcifica até as finas membranas nas articulações e as escleroses calcificadas, evitando enfartes; purificando o sangue, vitaliza o cérebro, desenvolve ou conserva a juventude até alta idade.

Uso: após os 40 anos, o organismo absorve sempre menos cloreto de magnésio, produzindo velhice e doenças. Por isso deve ser tomado conforme a idade: dos 20 anos aos 55 anos 1/2 dose, ou seja, meio cálice; dos 55 anos aos 70 anos, uma dose (um cálice), dos 70 anos aos 100, uma dose pela manhã e 1 dose à noite.

O cloreto de magnésio não é remédio, mas alimento. E não tem contra-indicação.
É compatível com qualquer medicamento simultâneo.
O cloreto de magnésio põe em ordem todo o corpo e é indicado para homens e mulheres. No caso das mulheres, ele ajuda a prevenir a osteoporose.

Recomendações: Quem sofre de bico de papagaio, obesidade, nervo ciático, coluna, arteriosclerose, rins, calcificação, surdez por calcificação, deve iniciar o tratamento com uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite.
Quando curado, deve-se tomar o cloreto de magnésio como preventivo, isto é, conforme a idade.

Artrose: O ácido úrico se deposita nas articulações do corpo, em particular os dedos, que até incham. Isso resulta de uma falha no funcionamento dos rins, justamente por falta do cloreto de magnésio. Se em 20 dias não sentir melhoras e não cessar a anormalidade, tome uma dose pela manhã e uma dose à noite.
Depois de curado, continue com as doses normais, como preventivo.

Próstata: aqui vou citar um exemplo. Um homem muito idoso já não conseguia urinar. Algum tempo antes da operação, lhe deram cloreto de magnésio como preparação e ele começou a melhorar. Depois de uma semana sentia-se bem e a operação foi cancelada. Há casos em que a próstata regride, às vezes, ao normal, tomando-se 2 doses pela manhã, duas doses à tarde, duas doses à noite.
Ao melhorar, tome a dose preventiva.

Outros problemas: como reumatismo, rigidez muscular, impotência sexual, câimbras, tremores, frigidez, artérias duras, falta de atividade cerebral, sistema nervoso: uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite.
Sentindo-se melhor, passar para a dose preventiva.

Preparo: como preparar e usar a solução de cloreto de magnésio: dissolver 33 gramas de cloreto de magnésio (essa dosagem já está à venda, em farmácias – em 2004 custava R$1,20) (hoje o preço está em torno de R$2,50) em 1,250 litro de água filtrada (conforme indicação do Dr. Luiz Moura). Depois de bem misturado, colocar em vasilhames de vidro (não de plástico) e guardar na geladeira. A dose é um cálice de licor segundo a idade: dos 20 anos aos 55 anos 1/2 dose, ou seja, meio cálice; dos 55 anos, aos 70 anos, uma dose (um cálice), dos 70 anos aos 100, uma dose pela manhã e 1 dose à noite.

Onde encontrar: em farmácias de produtos naturais ou mesmo nas alopáticas.
Pesquisa na Internet…

CANCER: Nós todos o temos em grau moderado. Consiste em células mal formadas por falta de alguma substância (refinados) ou presença de partículas tóxicas. Estas células anarquicas não se harmonizam com as sadias (não servem para nada), mas são inofensivas até certa quantidade, que o magnésio combate facilmente, vitalizando as sadias. Infelizmente todo processo canceroso, lento, não causa nenhuma dor de alerta, até aparecer o tumor, que segrega tóxicos (vírus muito variados), que invadem as células sadias em ramificações (semelhante a um caranguejo, que quer dizer, câncer no latim).

Atenção ao consumidor: O cloreto de magnésio para uso humano, tem que ser do tipo P.A . (Puro para Análise) e sua cor bem branca. É normal empedrar, mas isto não altera seu teor de qualidade. (Colaboração do Engenheiro Celso Vietro)

*Pe. Benno J. Shorr – padre jesuíta, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina., durante mais de 35 anos. Faleceu em maio de 2005, no Colégio Catarinense, com idade superior a 90 anos, tendo usado cloreto de magnésio por mais de 30 anos consecutivos.
Dedicado ao AMIGO Benno Schor nosso ex-professor
O nome do Padre é Benno Schor, era um dos Jesuítas do Colégio Catarinense em Florianópolis, lecionava Química, Física e Biologia. Pesquisando sobre sua doença, descobriu que todos os seus males era falta do cloreto de magnésio. Se vc procurar no google (cloreto de magnésio) irá encontrar relatos de sua história.
Conheci o Padre Schor, ele curou-se com o cloreto de magnésio, viveu anos, estava lendo este site e como este mundo é muito pequeno, este Padre foi capelão do hospital que eu trabalho, ele morreu na segunda quinzena de maio de 2005, este ano, eu o havia encontrado na cidade andando sozinho no centro no meio de tanta gente e fiquei admirada, aos 93 anos, ele andava alegre e distraído, uma semana depois soube que morreu, seu coração parou.
Ele apagou como uma vela ao vento, pois ajudou tanta gente, divulgando sua cura pelo cloreto de magnésio, e Deus foi também caridoso com ele.

Alzheimer e a mão esquerda – Roberto Goldkorn


Alzheimer e a mão esquerda
Por Roberto Goldkorn, psicólogo e escritor

Meu pai está com Alzheimer. Logo ele, que durante toda vida se dizia ‘o Infalível’. Logo ele, que um dia, ao tentar me ensinar matemática, disse que as minhas orelhas eram tão grandes que batiam no teto. Logo ele que repetiu, ao longo desses 54 anos de convivência, o nome do músculo do pescoço que aprendeu quando tinha treze anos e que nunca mais esqueceu: esternocleidomastóideo.

O diagnóstico médico ainda não é conclusivo, mas, para mim, basta saber que ele esquece o meu nome, mal anda, toma líquidos de canudinho, não consegue terminar uma frase, nem controla mais suas funções fisiológicas, e tem os famosos delírios paranóicos comuns nas demências tipo Alzheimer.
Aliás, fico até mais tranqüilo diante do ‘eu não sei ao certo’ dos médicos; prefiro isso ao ‘estou absolutamente certo de que….’, frase que me dá arrepios.

E o que fazer… para evitarmos essas drogas?

Como?

Lendo muito, escrevendo, buscando a clareza das idéias, criando novos circuitos neurais que venham a substituir os afetados pela idade e pela vida ‘bandida’.

Meu conselho: é para vocês não serem infalíveis como o meu pobre pai; não cheguem ao topo, nunca, pois dali só há um caminho: descer. Inventem novos desafios, façam palavras cruzadas, forcem a memória, não só com drogas (não nego a sua eficácia, principalmente as nootrópicas), mas correndo atrás dos vazios e lapsos.

Eu não sossego enquanto não lembro do nome de algum velho conhecido, ou de uma localidade onde estive há trinta anos.. Leiam e se empenhem em entender o que está escrito, e aprendam outra língua, mesmo aos sessenta anos.

Coloquem a palavra FELICIDADE no topo da sua lista de prioridades: 7 de cada 10 doentes nunca ligaram para essas ‘bobagens’ e viveram vidas medíocres e infelizes – muitos nem mesmo tinham consciência disso.

Mantenha-se interessado no mundo, nas pessoas, no futuro. Invente novas receitas, experimente (não gosta de ir para a cozinha?
Hum… Preocupante). Lute, lute sempre, por uma causa, por um ideal, pela felicidade. Parodiando Maiakovski, que disse ‘melhor morrer de vodca do que de tédio’, eu digo: melhor morrer lutando o bom combate do que ter a personalidade roubada pelo Alzheimer.

Dicas para escapar do Alzheimer:
Uma descoberta dentro da Neurociência vem revelar que o cérebro mantém a capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões.

Os autores desta descoberta, Lawrence Katz e Manning Rubin (2000), revelam que NEURÓBICA, a ‘aeróbica dos neurônios’, é uma nova forma de exercício cerebral projetada para manter o cérebro ágil e saudável, criando novos e diferentes padrões de atividades dos neurônios em seu cérebro. Cerca de 80% do nosso dia-a-dia é ocupado por rotinas que, apesar de terem a vantagem de reduzir o esforço intelectual, escondem um efeito perverso; limitam o cérebro.

Para contrariar essa tendência, é necessário praticar exercícios ‘cerebrais’ que fazem as pessoas pensarem somente no que estão fazendo, concentrando-se na tarefa. O desafio da NEURÓBICA é fazer tudo aquilo que contraria as rotinas, obrigando o cérebro a um trabalho adicional. Tente fazer um teste:

– use o relógio de pulso no braço contrário;
– escove os dentes com a mão contrária da de costume;
– ande pela casa de trás para frente; (vi na China o pessoal treinando isso num parque);
– vista-se de olhos fechados;
– estimule o paladar, coma coisas diferentes;
– veja fotos de cabeça para baixo;
– veja as horas num espelho;
– faça um novo caminho para ir ao trabalho.
A proposta é mudar o comportamento rotineiro!
Tente, faça alguma coisa diferente com seu outro lado e estimule o seu cérebro. Vale a pena tentar!
Que tal começar a praticar agora, trocando o mouse de lado?
Que tal começar agora enviando esta mensagem, usando o mouse com a mão esquerda?
FAÇA ESTE TESTE E PASSE ADIANTE PARA SEUS (SUAS) AMIGOS (AS).
‘Critique menos, trabalhe mais. E, não se esqueça nunca de agradecer!’
Sucesso para você!!!

A cada 1 minuto de tristeza perdemos a oportunidade de sermos felizes por 60 segundos.

Obs.: Esta mensagem foi enviada por mim, com a mão esquerda

“A Lei da mente é implacável; o que você pensa, você cria; o que você sente, você atrai; o que você acredita torna-se realidade!”

Expresse o que sente – Para quem está acostumado a engolir sapos, ioga ajuda, aconselha professor


Expresse o que sente
Para quem está acostumado a engolir sapos, ioga ajuda, aconselha professor

Por Alexandre Perlingeiro*

Ao longo das nossas vidas temos que engolir muitos sapos. Quem já não passou por essa experiência ao menos uma vez? Pode ter sido um sapinho bem pequenino, um girino, ou até um daqueles enormes, um sapo-boi, daqueles que vivem em brejos e coaxam a noite toda sem deixar a gente dormir. Todos nós, com certeza, pelo menos uma vez na vida já engolimos um sapo. Viver em sociedade implica em engolir sapos. O chefe no trabalho, parentes em casa, um inimigo, infinitas são as situações onde nos vemos obrigados a engolir um sapo.

E sapos não são alimentos saudáveis! Qualquer médico ou nutricionista vai confirmar isto. Aquele sapo que foi engolido permanece dentro da gente vivo e coaxante. Ficamos remoendo o sapo tentando digeri-lo sem sucesso. O sapo nos incomoda, nos gera raiva que nos gera, se ficar contida, apatia e até depressão. O sapo quer sair e a força que fazemos para mantê-lo dentro da gente acaba por nos deixar exauridos, sem disposição para mais nada. Os sapos tiram o nosso tesão pela vida. Mais ainda, todo sapo preso cospe veneno. Morremos um pouco a cada dia com os sapos presos em nós.

Mesmo quando nos esquecemos da situação – e do sapo -, ainda assim ele continua lá. Pior ainda, porque, aos nos esquecermos dele, o perdemos de vista. Ele passa a fazer os estragos dentro da gente sem sabermos onde ele está. Apenas percebermos os estragos, mas não vemos mais os sapos. Os sapos viraram fantasmas. É assim que as pessoas têm úlceras, gastrites, infartos, síndrome do pânico… a lista é imensa. E quer saber? Não são os sapos os responsáveis. Muito menos o chefe chato ou o parente mala. Somos nós. Somos nós os responsáveis porque decidimos engolir o sapo e depois por mantê-lo preso dentro da gente.

Mesmo aquelas pessoas que não levam desaforos para casa, elas que pensam que não engolem sapos, se enganam. São o outro lado da mesma moeda. Elas pensam que, sendo desaforadas, conseguem manter os sapos afastados, mas isso é um engano. O sapo já entrou e elas não se dão conta disso. Conheço muitos assim. Tipo italiano, explosivo… a maioria morre do coração ou tem úlcera. Por que será?

O que fazer com os sapos? Muito simples. Não engolir e, se engolir, botar pra fora. Em outras palavras, espontaneidade. Só que temos medo de ser espontâneos. Vamos ofender os outros. Vamos falar o que (pensamos que) não deve ser falado, o que vai magoar, etc. Mas não tem solução. Só espontaneidade cura os males causados por sapos. Tudo o resto é paliativo. Remédio para úlcera, safena e qualquer outra descoberta milagrosa da medicina não passa de paliativo, trata da conseqüência, do sintoma.

Homeopatia e acupuntura são muito boas, porque tratam a causa. Yoga, então, nem se fala! Yoga é um santo remédio contra sapos na alma (tratamento corretivo) e, preventivamente, nos ajuda a evitar que venhamos a engoli-los.

Yoga faz milagres com os males dos sapos!

Corretivamente o yoga desbloqueia os pontos de energia onde o sapo se escondia. Isso mesmo. Sapo se esconde nos bloqueios de energia, os pontos onde a energia fica estagnada, a musculatura contraída e a emoção retida. É exatamente ali que o sapo fica. Onde o sapo se esconde a energia não passa. Então o yoga faz a energia voltar a circular e com isso o sapo é expulso (junto com a emoção mal-resolvida). No corpo físico o processo é principalmente muscular. Reich recentemente descobriu o que já era feito há 5.000 anos. Yoga bota pra fora todos os sapos. É um processo meio doloroso nesse sentido, mas muito saudável.

Preventivamente, o yoga nos torna responsáveis pelos nossos atos. Somos senhores das nossas decisões. Somos os únicos responsáveis pelo que pensamos, sentimos e fazemos. O yoga não vai nos impedir de engolir sapos. O que ele vai fazer realmente é não tornar o ato automático ou inconsciente. Só vou engolir sapos se quiser. É através da mudança na maneira de ver a vida que o yoga nos fortalece e imuniza contra os sapos. O processo é, neste caso, principalmente glandular e hormonal.

Se meu chefe (ou um parente) tem gênio difícil, posso tentar compreender suas motivações – o que não significa concordar. Tenho até o dever de discordar, se há esse espaço para divergências na firma. Caso contrário posso simplesmente calar e cumprir a ordem (manda quem pode, obedece quem tem juízo). Posso também, se o ato me violenta, pedir transferência de setor ou até mesmo demissão. Ninguém é obrigado a aturar desmandos insanos ou anti-éticos.

Enfim, as saídas são muitas. Devo decidir – e arcar com o ônus dessa escolha. Que, como tal, sempre vai gerar ganhos e perdas. Isso é maturidade, decidir e assumir as conseqüências da decisão.

Resumindo, Dakshina Tantra adverte: engolir sapos faz mal à saúde. Pratique yoga. Caso os sintomas persistam, procure seu professor (um psicólogo ajuda bastante, também, e o médico é fundamental).

*Alexandre Perlingeiro é mestre em Dakshina Tantra Yoga