Pensamento para o Dia 1 de Março de 2012


Pensamento para o Dia 1 de Março de 2012
– de Sathya Sai Baba

“Toda a alegria que você almeja está dentro de você. Você sofre como alguém que tem vastas riquezas em um cofre de ferro, mas não tem ideia de onde está a chave! As chamas de raiva, orgulho, ódio, inveja, etc. são mais devastadoras que o fogo natural. Elas surgem na mente furtivamente e, em jorros, sempre exigem se alimentar mais e mais. O fogo é chamado “anala”, que significa “não basta”. Você teme o fogo quando ele salta ao longe. O que se diz, então, do fogo que está dentro de seu próprio eu? Como apagar essas chamas perigosas? Há extintores comprovadamente testados pela experiência e garantidos pelos sábios, e eles são: Verdade, Retidão, Paz e Amor (Sathya, Dharma, Shanthi e Prema). Examine dentro de você que características e hábitos que você deve descartar e os que deve manter. Somente aquelas tendências e atitudes que o lembram do Divino no qual você deve se fundir devem ser mantidas e desenvolvidas.”

Pensamento para o Dia 29 de Fevereiro de 2012


Pensamento para o Dia 29 de Fevereiro de 2012

– de Sathya Sai Baba

“A purificação interna deve ser o seu primeiro objetivo. Você pode ter finos vegetais, especiarias excelentes, sal e os melhores grãos; o cozinheiro pode ser um mestre da arte. O forno que você usa pode ser o melhor que se pode obter. Mas se o recipiente de cobre usado para cozinhar não for estanhado, a sambar (sopa) se transformará em algo perigoso, que não pode ser consumido. O prato preparado se torna venenoso se o interior do vaso for impróprio para cozinhar. Do mesmo modo, você deve purificar seu ser interior. Sathkarma (ações virtuosas) e Sadachara (bons hábitos), juntamente com orações, agem como um revestimento para o recipiente do seu coração (hridaya pathra), onde emoções, impulsos e instintos estão cozinhando. A oração domará todos os instintos, como um elefante selvagem é treinado para executar truques em um picadeiro de circo.”

Pensamento para o Dia 28 de Fevereiro de 2012


Pensamento para o Dia 28 de Fevereiro de 2012
– de Sathya Sai Baba

“A palavra Jnana também significa ânsia de perceber o Princípio do Atma (Atma thathwa) através da indagação das pessoas com experiência espiritual. Se você anseia obter essa sabedoria ou experiência, vá até as almas realizadas e conquiste sua graça. Estude bem seus modos e maneiras e aguarde a oportunidade para pedir-lhes ajuda. Quando surgirem dúvidas, aborde-os com calma e coragem. Nenhuma água do mar pode saciar a sede. Da mesma forma, várias horas de estudo das escrituras não esclarecerão nossas dúvidas. Jnana ou sabedoria última só pode ser conquistada através de anciãos que já experimentaram o absoluto. Sirva-os e conquiste seu amor. Só então essa preciosa Jnana pode ser obtida.”

Pensamento para o Dia 15 de Fevereiro de 2012


Pensamento para o Dia 15 de Fevereiro de 2012

– de Sathya Sai Baba

“Na Gita, o Senhor Krishna diz: “Arjuna! As pessoas desistem de reverenciar-Me e de buscar-Me, o seu próprio Eu. Quão tolos são eles! Eles não anseiam alcançar-Me, mas anseiam buscar realizações menores que são falsas e transitórias. A razão para esse comportamento estranho é o desejo por resultados rápidos. As pessoas buscam somente o que está disponível aqui e agora; aquilo que está em uma forma concreta e é capaz de ser compreendido pelos seus sentidos; eles são levados pela atração dos prazeres frívolos. As pessoas também não têm, geralmente, a paciência necessária. Elas atribuem maior importância ao corpo denso (sthula sarira). A realização de Jnana (sabedoria) é a verdadeira vitória interna; ela é conquistada depois de longa e árdua luta. Os poucos espiritualmente preparados anseiam pelo Divino. Tais pessoas sábias são realmente abençoadas. Considerem cada ato como apenas a execução de Sua ordem e conduzido a Sua graça.””

Pensamento para o Dia 14 de Fevereiro de 2012


Pensamento para o Dia 14 de Fevereiro de 2012
– de Sathya Sai Baba

“Se há um furúnculo no corpo, aplicamos uma pomada e cobrimos com um curativo até que cicatrize. Se não fizermos isso, é provável que se torne infectado e cause grandes danos no futuro. Periodicamente é preciso limpar com água pura, aplicar a pomada novamente e colocar um curativo novo. Da mesma forma, em nossa vida, há esse furúnculo característico que surgiu em nosso corpo na forma do ‘eu’ (ahamkara e mamakara). Se você quiser realmente curar esse furúnculo do ‘eu’, você terá de lavá-lo todos os dias com as águas do amor, aplicar a pomada da fé e prender a atadura da humildade em torno dele. Isso vai curar a doença que entrou em erupção nesse furúnculo do ‘eu’.”

Pensamento para o Dia 13 de Fevereiro de 2012


Pensamento para o Dia 13 de Fevereiro de 2012
– de Sathya Sai Baba

“O Senhor, como um torrão de açúcar, é todo doçura. Todas as diferenças e distinções são as ilusões das pessoas com percepção do corpo. Veja este exemplo: Uma mãe com quatro filhos não dá às outras três tanta atenção e cuidado como ela dá ao filho no berço. Mesmo se a criança não chamá-la, ela está sempre vigilante para dar-lhe comida. Os outros três vêm e pedem-lhe comida e coisas para brincar. Observando isso, você não pode julgá-la uma mãe ruim ou parcial. A mãe ajusta suas atividades conforme a capacidade e habilidade da criança. Do mesmo modo, embora o mundo inteiro seja Seu, embora todos sejam Seus filhos, Ele agracia e abençoa cada um conforme sua própria capacidade e habilidade. Atribuir qualquer culpa a tal Deus abnegado, sincero, simples, sempre bem-aventurado é como atribuir escuridão ao Sol – é um ato de pura ignorância!”

Pensamento para o Dia 10 de Fevereiro de 2012


Pensamento para o Dia 10 de Fevereiro de 2012
– de Sathya Sai Baba

“Alguns estão sempre desgastados pelos males que afetam o corpo; eles são chamados Aarthas. Há outros que estão preocupados com a luta por riqueza, poder, propriedade, fama, etc.; são Artha-arthis. O terceiro tipo são aqueles que anseiam pela realização do Atma e essas pessoas leem as escrituras, movem-se na companhia de aspirantes espirituais, atuam ao longo das linhas das escrituras – sadachara (Conduta Reta), e estão sempre motivados a alcançar o Senhor; eles são chamados Jijnaasus. O quarto é o Jnani, que está sempre imerso no Divino. Eu sou como a árvore divina que realiza desejos (Kalpavriksha). A minha tarefa é dar a todos o que eles pedem, sem qualquer prejuízo ou favorecimento. Qualquer falha pode ser imputada ao Sol emitindo seus raios? Os raios do Sol caem igualmente sobre todos os que estão diretamente em seu caminho; mas se alguém está atrás de algo, dentro de uma sala fechada, por exemplo, como pode o Sol iluminá-lo? Cultive anseios mais elevados e receba de acordo!”