Casa Cor Bahia 2011


Casa Cor Bahia 2011

Em sua 17ª edição, a Casa Cor Bahia apresentou-se em local privilegiado: de frente para o mar de Ondina, no antigo Salvador Praia Hotel. Reportagem Visual Paulo Lagreca Texto Simone Serpa Fotos Marcelo Negromonte

O projeto do Living de 145 m², na entrada da mostra, coube ao arquiteto Rogério Menezes. “Imprimi sofisticação com peças de família, lembranças de viagem e itens bem atuais”, diz, referindo-se, entre outras coisas, à seleção do mobiliário de linhas retas (Home Design), em contraponto ao sofá capitonê e à arte irreverente, marcada pela maçã de Romero Brito. “Fugi da tendência dos tons claros”, afirma.

Entre setembro e novembro de 2011, você pode conferiu, em 62 ambientes, as apostas de arquitetos e designers de interiores para este ano. Entre as tendências, o uso da cor é a mais marcante. Tons fortes aparecem ora no mobiliário, ora na composição de quadros. Mas há também o contraste com tonalidades sóbrias e detalhes clássicos.

Na Suíte do Casal, idealizada por Aline Cangussu, predominam leveza e aconchego. Branco, tons crus e cores pastel servem de base para a composição de aquarelas da artista Fátima Tosca (Galeria Fábio Pena Cal) dispostas em nichos de gesso. “Eles valorizam as obras, que têm ainda iluminação especial”, afirma a arquiteta. Aline explica que trabalhou com poucas cores, porém diferentes texturas. A parede ganhou ripas em sentido horizontal. A cama, desenhada pela arquiteta e executada pela Casabella Movelaria, tem cabeceira com ranhuras e a poltrona traz o toque suave do veludo azul. O pendente é da Scatto

Para criar o Recanto do Artista, homenagem a Genaro de Carvalho, as arquitetas Aila Fonseca e Ana Burity reuniram quase 30 obras do baiano modernista que viveu de 1926 a 1971 e deixou tapeçarias, pinturas, esculturas. “Queremos que as pessoas sentem e apreciem a arte de Genaro”, diz Aila. Para isso, em meio a paredes cobertas de obras, elas criaram um estar agradável e igualmente moderno, com a marquesa desenhada por Oscar Niemeyer, do acervo da Home Design.

A tela de Selma Weissmann que retrata uma baiana em primeiro plano foi o ponto de partida da dupla Adriana Varandas e Adriana Lorenzo para a criação do visual do Lounge da Sala de Jantar. Quando viram os pratos italianos (Home Design Casual), não tiveram dúvida de que eles trariam ainda mais cor e descontração ao espaço, além da ideia de miscigenação de culturas. “Queríamos obter uma atmosfera de varanda”, dizem, justificando a escolha de materiais naturais, como a predominância da madeira para móveis e parede. Um sofá amplo (Saccaro) e repleto de almofadas (Quatro Estações) convida ao relax após uma refeição em família

Nesta mostra, Sidney Quintela apostou no clássico. “Acredito que está na hora da retomada das composições tradicionais e mais rebuscadas. É importante que a casa também exponha objetos que contam histórias da família”, diz o arquiteto sobre o projeto do Loft Master. Assim, reuniu ícones de requinte, como veludo, seda, pedras marmorizadas, adornos dourados e móveis de época, como o sofá chanel e as poltronas luís 15 (Toque da Casa), o tapete Aubusson e outras peças de antiquário

O Loft do Marchand, do arquiteto Flávio Moura, foi pensado para um casal maduro, sofisticado e que viaja mundo afora. Marido e mulher têm predileção pela obra do artista Florian Raiss (Galeria Fábio Pena Cal) e faz da casa uma espécie de galeria cheia de estilo. Objetos (Emporio Magma) e móveis (Home Design) com acabamentos de metal – ouro, bronze e prata – se unem à madeira natural para imprimir ao espaço uma linguagem contemporânea, sem abrir mão da atmosfera clássica. A iluminação (Omni Light) bem pontuada contribui para deixar ainda mais elegantes os ambientes que compõem o loft de 130 m²

Móveis antigos, referências de pop art e tecidos que remetem à alfaiataria masculina são os pontos altos do ambiente assinado por Malon Gama, que pela primeira vez participa da Casa Cor. Batizado de Loft do Bon Vivant, o espaço foi projetado para alguém que gosta de receber bem e está antenado com as tendências da moda e da decoração. Desperta a atenção do visitante, especialmente, a parede revestida de tecido listrado (Donatelli), que sobressai com a iluminação instalada no forro. “O espaço é funcional e cheio de personalidade”, afirma Marlon. Os móveis, que combinam madeira, vidro e espelho, são da Basica Home. O tapete vem da Bagdá.

Em 20 m², os arquitetos Alter Fernandez e Ricardo Cardoso fizeram um miniestúdio no Quarto de Mordomo. “Há escritório, dormitório e sala de estar”, diz Alter. Os ambientes são setorizados por uma divisória de acrílico amarelo (Indall), que compõe a cartela de cores quentes, combinadas a acabamentos com toque rústico e retrô. A parede atrás da cama recebeu revestimento de tijolinho inglês com tratamento envelhecido (Fonseca Shop) e disposto numa paginação de espinha de peixe.

Na concepção da Sala Íntima do Casal, a designer de interiores Adélia Esteves idealizou um espaço descontraído e moderno, onde o casal pudesse, inclusive, receber alguns amigos. A estante vazada laqueada na cor de laranja, da Líder, ao mesmo tempo que divide ambientes promove sua integração. “Ela é o lugar ideal para manter sempre à vista objetos queridos, coleções, lembranças de viagem e livros”, explica Adélia. Conforto é fundamental. Por isso, o canto de leitura ganhou uma irresistível poltrona (Home Design) e um tapete felpudo

O destaque do Loft do Colecionador é a tela de São Jorge, arte assinada pelo badalado grafiteiro Ozi. A obra, que encanta pelo colorido e atualidade da técnica, foi posicionada sobre a estante modulada (Marcatto), que o arquiteto Mário Figueiredo escolheu para ocupar toda a parede e servir de vitrine para as coleções de pequenos objetos. “Esse móvel pode ser montado em tamanhos diferentes e aos poucos, conforme a quantidade de enfeites do morador aumentar”, conta Mário. Neste caso, a cor escolhida é a laca amarela, em voga na decoração.

Praticidade e sofisticação definem o Loft da Mulher Executiva, espaço assinado pela arquiteta Eliane Kruschewsky. Nas paredes, está a beleza tradicional da boiserie. Nos armários, que embutem geladeira e fornos, a elegância do tom off-white. “Como o espaço é moderno, usei uma mesa de tom de cinza, o que é pouco comum, e o lustre Ventana, do designer Jonathan Adler”, explica Eliane, que acrescentou ao projeto madeira no piso e nas cadeiras, além de objetos de palha. “Elementos naturais trazem acolhimento”, justifica a profissional

No projeto do Home Theater, a designer de interiores Nágila Andrade usou pastilha de vidro, lançamento da Vidro Real (Pavimenti), no piso. Seu tom ocre puxou outros matizes na paleta dos chocolates, beges e dourados, que cobriram paredes, móveis e objetos. “As cores mais escuras são propícias a espaços que remetem às salas de cinema”, diz Nágila. Aos tons sóbrios, a profissional aliou móveis de desenho contemporâneo (Home Design) para criar uma atmosfera equilibrada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s