Feng ShuiI:: As aplicações na Medicina da Habitação


Feng ShuiI:: As aplicações na Medicina da Habitação

Feng shui é um termo chinês que significa “vento- água” mas, em sentido amplo, significa as relações com a natureza ambiental, como a grande influência da paisagem e da estética dos edifícios na felicidade de seus habitantes. O termo “Feng Shui” é pronunciado como “Fông Suei”.

Não só na China como em outros países que utilizavam esta técnica, quando surge a idéia de construir ou reformar um prédio são tomados alguns cuidados, como a verificação da natureza do terreno; isto é, se existem no subsolo lençóis d`água contaminada, oleodutos, gasodutos, rede elétrica, anomalias do subsolo por incompatibilidade de camadas minerais, ou redes de esgoto abandonadas, para que os futuros habitantes daquele local não sejam atacados por ondas nocivas e não contraiam doenças decorrentes do desequilíbrio vibratório das células. Também se verifica se a ação dos ventos dará boa circulação energética àquele prédio a ser erguido. Daí a decisão na escolha do terreno num planalto, numa planície, num vale ou no cume de uma montanha. Igualmente é verificado o equilíbrio yin / yang do mobiliário, buscando-se a criação de ambientes harmoniosos e saudáveis; são estudados os locais mais adequados para algum objetivo bem definido na residência (cozinha, sala de jantar, ateliê, quartos, etc.). As mesmas considerações podem ser aplicadas a prédios comerciais e industriais.

Temos relatórios de medições domiciliares sobre o ataque de ondas nocivas, com fatos concretos ocorridos em diversos lugares por onde realizamos nossas pesquisas de Feng Shui nestes últimos anos. Numa casa localizada na Vargem Grande, no bairro de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, com a idade de trinta anos e adquirida pela família S.R. há oito anos, havia casos de doenças frequentes, inclusive esquizofrenia, desentendimentos familiares e desânimo nas pessoas em mantê-la arrumada nas mínimas condições de habitabilidade. O prédio havia sido preparado para receber pintura interna e externa, mas a apatia de seus proprietários chegava ao clímax de pretenderem vendê-lo no estado, na tentativa de descartarem-se daquilo que para eles era um grande problema.
Havia cômodos que eram verdadeiros depósitos de sucata; isto é, quinquilharias cujas origens nem mesmos os proprietários conheciam. Outros compartimentos apresentavam suas lajes-teto e paredes impregnadas de mofo (fungos). Em dois dos cinco quartos da residência, havia móveis mal posicionados contrariando as técnicas do Feng Shui. E, para completar toda esta história, foi descoberto no subsolo, na direção da cozinha, uma cisterna abandonada há muitos anos, com um palmo d água contaminada.

Este quadro acima relatado foi verificado através de uma anamnese (relatório de queixas) da cada membro da família. Tal relatório serviu como ponto de partida para o trabalho de Radiestesia e Feng Shui. Em seguida, realizamos um rastreamento (medição) com instrumentos radiestésicos para a verificação energética em todo o prédio. Também foi feita uma medição áurica (com o instrumento aurímetro) em cada membro da família, para checar se havia interferência de energias intrusas sobre os mesmos e se identificou o cromotipo daquelas pessoas. O resultado deste trabalho foi a geração de um relatório final com as seguintes recomendações:

a) Descarte de tudo que era inservível, evitando o acúmulo de energias densas, ou não pertencentes aos moradores do prédio.
b) Com a identificação do cromotipo, pudemos mesclar as cores, chegando a um consenso da cor ideal e harmônica a todos, para pintura do prédio interna e externamente.
c) Que fossem corrigidas imediatamente as infiltrações para o extermínio dos fungos, evitando a “vampirização energética” das pessoas que convivem naqueles compartimentos.
d) Que a cisterna abandonada fosse aterrada e lacrada com concreto; ou então, reativada para não funcionar como fonte emissora de ondas telúricas.
e) Organizamos o layout (disposição do mobiliário) nos quartos, evitando que pessoas fossem bombardeadas por ondas nocivas da energia da forma.
f) Sugerimos a instalação de espelhos, alguns tipos de plantas e sinos “Mensageiros dos Ventos” em pontos estratégicos para permitir um bom fluxo energético.
g) Instalamos captores energéticos para neutralizar energias densas, chamados “Solenóides Cosmo-Telúricas” em alguns pontos do prédio
h) Recomendei uma limpeza geral no jardim, eliminando todas as árvores e plantas secas ou mortas, e tratamento para as remanescentes.
Resultado: todo este distúrbio energético experimentado pela família S.R. ao longo dos oito anos de convivência no prédio foi reorganizado num curto período de trinta dias.

Dirceu Galhardi
(21) 9632-6040 / (22) 2655-3963
dirceugalhardi@gmail.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s