Leveza e versatilidade no quarto


Leveza e versatilidade no quarto
O estilo contemporâneo é uma boa solução para uma decoração de linhas mais amenas e aconchegantes

Para conciliar os desejos distintos do casal, o arquiteto Leonardo Junqueira apostou no estilo contemporâneo neste projeto, e pôde misturar pele sintética de animal e fotos de paisagem

Seguindo os tons beges da decoração, o painel de madeira tem um acolchoado que marca a cabeceira da cama e dá mais ao conforto

Os tons neutros escolhidos por Juliana Sampaio e Ana Cristina C. Salles deixam o quarto acolhedor. O painel de madeira atrás da cria a sensação de aconchego

As cores neutras do contemporâneo vão além dos tons de bege. O quarto projetado pelo arquiteto Flávio Butti combina cinza e preto com o branco. O painel cinza metálico iluminado e a cama, que parece flutuar

O estilo contemporâneo é facilmente combinado com referências de outras linhas. Como neste projeto de Ana Lúcia Siciliano, que usa objetos clássicos

O guarda-roupa de linhas retas quebra o clássico desenho da chaise longue próxima à cama. “A contemporaneidade é quebrar, misturar, mesclar estilos”, diz Ana Lucia Siciliano, autora deste projeto

Ainda que seja por excelência o local de namoro numa casa ou num apartamento, o quarto de casal não precisa transpirar romantismo a cada centímetro quadrado. Uma decoração ao estilo contemporâneo, por exemplo, mescla estilos diversos, geralmente usa cores mais amenas, não abusa de estampas, evita rebuscamentos, privilegia linhas retas e busca leveza e aconchego.
Por admitir certo ecletismo, essa linha pode ser uma boa saída para casais que tenham gostos diferentes. Além disso, combina facilmente com outros estilos, o que dá ao arquiteto e ao casal mais liberdade para escolher pequenos acessórios e objetos. “É fácil compor um quarto contemporâneo com acessórios e elementos marcantes. Eles harmonizam bem, porque o estilo contemporâneo é essencialmente básico”, explica a arquiteta Juliana Sampaio, do escritório de arquitetura Sampaio Salles.
Para atender ao pedido de um casal que tinha gostos diferentes, mas não opostos, o arquiteto de interiores Leonardo Junqueira apostou no estilo: “Eles queriam algo atemporal, e que misturasse pele de animais e fotografia”. A pele de animal — sintética — entrou na decoração como enxoval, na colcha da cama. As fotos de um deserto, do fotógrafo Álvaro Eikes, combinam com os tons bege e branco do quarto. E o painel de madeira posto na parede tem um estofado que empresta conforto à cabeceira da cama.
Juliana Sampaio também usou um painel de madeira como cabeceira da cama em um de seus projetos em estilo contemporâneo — a madeira traz a sensação de aconchego que seus clientes desejavam. A combinação entre os tons bege e areia do enxoval e da cortina tornou o quarto acolhedor. Os quadros acima do painel dão vida ao ambiente com suas cores, e a cortina foi instalada dentro de um cortineiro de gesso reto.
A arquiteta Ana Lúcia Siciliano já fez projetos com os mesmos tons de areia e branco, mas encorado em referências na decoração clássica. Sobre a cama, uma cabeceira de couro lisa e reta, sem muitos detalhes, deixa aparecer apenas os pespontos (costura aparente). Na outra ponta da cama, colocou uma chaise longue de cores neutras. Para quebrar o clássico e buscar o atual do estilo contemporâneo, há dois criados-mudos com luminárias de design mais moderno, de aço escovado. A leveza vem com a cortina de crepe de seda.
Mas o contemporâneo não se restringe a variações de marrom e bege. O arquiteto Flávio Butti fez um quarto em que predominam os tons escuros. Móveis e acessórios foram escolhidos para criar uma decoração minimalista e limpa. “Os clientes queriam uma decoração atual e leve”, diz.
Para equilibrar o cinza, o preto e o cru, o forro do teto foi pintado de branco, e um grande requadro (um tipo de armação) foi posto atrás da cama. No interior do requadro há um papel de parede cinza metalizado, que imita um tecido. À direita e à esquerda, luminárias foram suspensas para trazer leveza e sofisticação. Ao mesmo, essa composição dá destaque à cama que, apesar de grande, parece flutuar. Esse efeito visual é dado pela bases da cama, que ficam recuadas e escondidas. Para completar, o tapete de algodão dá um ar mais solto ao piso de madeira, além de ser confortável para os pés descalços.
“O quarto contemporâneo busca uma linguagem mais limpa: é o lema do menos é mais”, finaliza Butti.

PrimaPagina
Especial para o Terra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s