Começar de novo – Cinco dicas que vão dar um novo ânimo ao seu relacionamento


Começar de novo
Cinco dicas que vão dar um novo ânimo ao seu relacionamento
Por Ilana Ramos
03/10/2011

Compartilhar No começo do namoro, Roberto e Helena viviam para o outro. Apaixonados, eles acreditavam que suas diferenças os completavam. Hoje, 25 anos depois, eles ainda se amam, mas veem o outro como um ser completamente estranho, muito diferente da criatura doce com quem casaram anos atrás. A história parece familiar? Os problemas, os filhos, as contas e até a rotina podem detonar com a paixão. Mas nada que uma dose de amor e outra de paciência não resolvam. Veja as dicas que preparamos para reacender aquela paixão e apimentar a sua relação.
O fim do casamento geralmente ocorre por dois motivos: ela e ele. De acordo com a psicóloga Sueli Castillo, “os casamentos acabam porque, uma vez casados, cria-se a ilusão de posse. Durante o período de namoro as afinidades são enaltecidas e as diferenças são quase sempre relevadas. Com o casamento, essa visão vai aos poucos se invertendo e, quando se percebe, as afinidades fazem parte da rotina e as diferenças são amplamente valorizadas. Além disso, as dificuldades enfrentadas no dia a dia do relacionamento acabam criando um grande afastamento. A delicadeza presente no começo da relação dá lugar a respostas ásperas, afinal ‘ele é meu companheiro (a) e tem que entender meu jeito de ser’. E na verdade não é bem assim”.
Não é correto esperar que ninguém, muito menos o parceiro, tenha as atitudes que esperamos que tenham. “Ouvi uma vez um homem dizer que ‘os casamentos não dão certo porque a mulher se casa esperando que o homem mude, mas ele não muda e os homens se casam esperando que a mulher não mude, mas ela muda’. Esse homem sintetizou muito bem os casamentos. Esperar do parceiro que ele tenha as atitudes que se deseja é um fator muito importante no afastamento dos casais. Espera-se tudo do outro, mas esquece-se que o conheceu com aquelas características de comportamento. Com todas essas diferenças de personalidades e de entendimento quanto ao que realmente é um casamento, acaba ocorrendo uma distância enorme entre o casal, que não mais conversa, discute, briga”, avalia Sueli.
Não existe receita de bolo para se construir um casamento perfeito, mas existem certos aspectos que podem ser trabalhados para resgatar a paixão do início do namoro e relembrar o que os fez ficarem juntos. A psicóloga Sueli Castillo abordou alguns aspectos que podem ajudar a apimentar a relação de novo. Veja a seguir:

Comunicação
A comunicação entre o casal é fundamental para que exista entendimento entre os dois. Comunicação é diálogo e não monólogo. Não adianta um ditar as ordens e o outro obedecer. É necessário conversar sobre tudo, e com bom senso entrar em um consenso. Um casal que conversar a respeito dos problemas e juntos encontrar uma solução irá valorizar a parte feliz da relação e não criar uma guerra, uma disputa quanto a quem tem razão. Com isso, a vida conjugal torna-se mais leve, prazerosa e agradável.

Rotina
Não necessariamente é ruim, tudo depende de como a encaramos. O viver, acordar e dormir já são por si uma rotina, mas não queremos de forma alguma deixar de acordar e dormir. Fazer todos os dias as mesmas coisas sem entusiasmo pode acabar em frustração uma vez que todos têm sonhos e desejos. O importante é fazer as tarefas diárias com amor, mas também colocar os desejos em prática como ir ao cinema, viajar, tirar um dia só para o casal, enfim trazer motivação e entusiasmo para o relacionamento conjugal.

Planos
É possível reanimar um relacionamento enfraquecido mesmo após muitos anos de convivência. Para tanto é necessário que o casal perceba que a relação está sem graça e que um não culpe o outro e que tenham consciência de que se a relação está assim, a responsabilidade é de ambos. Criar novos objetivos, novas formas de convivência, priorizando o carinho, o amor, a sexualidade e o lazer podem constituir uma maneira saudável de reacender a relação. Buscar no passado os planos, que por esquecimento ou não priorização, não foram concretizados também é valido.

Mudança
Não se deve desistir de tentar melhorar a relação. Acredito que a desistência está no conformismo e na aceitação que tudo ficará assim para sempre. Caso o parceiro não entenda a necessidade de mudança é importante uma conversa definitiva, onde a pessoa diga como verdadeiramente se sente, coloque também sua parcela de responsabilidade que permitiu que o relacionamento ficasse dessa maneira, mas que deixe bem claro que, como está, não mais está lhe satisfazendo. Pode ser que assim o companheiro perceba a necessidade de mudança, não porque ele sinta-se mal com a rotina e sim porque a relação pode acabar caso não haja uma mudança satisfatória. Vejo essa alternativa difícil porque normalmente a pessoa que deseja a mudança não mantém sua decisão, e por vezes se abandona no conformismo. Mas ainda assim vejo como uma decisão saudável.

Amor
Não há uma receita pronta de um casamento feliz, uma vez que cada casal tem uma maneira de ser única, mas diminuir a agressividade com as palavras, valorizar as qualidades do outro (quem não gosta de receber elogios verdadeiros?) criar planos a dois, passeios, namorar, transar, carinho, atenção é um ótimo começo para qualquer mudança. Nunca esquecer que o relacionamento é como uma planta delicada e que precisa ser tratada a quatro mãos. Portanto, cuidar dessa planta, regar, adubar a dois é fundamental.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s