O PERDÃO E A SAÚDE


O PERDÃO E A SAÚDE
Quando não optamos pelo Perdão diante de fatos e pessoas que nos causaram algum dano, perda, prejuízo ou agressão, obviamente escolhemos ficar com a raiva, mágoa, melindre ou ressentimento.
No momento seguinte à ocorrência do conflito, talvez o algoz que nos prejudicou já tenha esquecido a palavra infeliz ou a ofensa a nós dirigida. Quanto a nós, sentimos no momento a raiva ou o ódio e podemos escolher prolongar no tempo estas emoções destrutivas, na forma de mágoa, guardando na profundeza de nossa alma a dor, a angústia, o sofrimento por dias, meses e anos.
Sempre que optamos por não perdoar, criamos uma história sobre a mágoa e ficamos repetindo esta história a todos que cruzam o nosso caminho, chegando às lágrimas, pois nos sentimos vítimas. Quando não encontramos alguém disposto a ouvir a nossa lamentação, ficamos repetindo a historia sobre a mágoa em nosso pensamento, o tempo todo. Esta atitude ocupa muito espaço em nossa mente. É um tipo de tormento voluntário. É uma auto obsessão. Com a mente obstruída de pensamentos sobre a mágoa, não conseguimos raciocinar com clareza; não encontramos soluções criativas para os problemas mais simples, perdemos a capacidade de concentração, nos tornamos nervosos e irritados com pequenas coisas.
Quando escolhemos não perdoar, culpamos o outro pela nossa infelicidade, o que corresponde a responsabilizar o outro pela nossa condição de vítima em eterno sofrimento. Estamos assim dando poder ao outro, o poder de tirar a nossa Paz, a nossa Serenidade, o nosso Bem Estar.
Sabemos que a nossa mente governa a saúde de todos os órgãos e sistemas. Quando temos bons pensamentos e emoções positivas, geramos ondas vibratórias que atingem todas as células, administrando as reações bioquímicas, o estado de defesa, a divisão celular, a cooperação entre todas as partes, a nutrição, as funções neurológicas, o vigor, a energia e a disposição do organismo como um todo.
Mas, se escolhermos não perdoar, aumentaremos a porcentagem de: Distúrbios da Função Digestiva, Gastrite, Colite, Náuseas, Vertigens, Tonturas, Dores de Cabeça, Enxaqueca, Hipertensão Arterial, Angina, Infarto, Taquicardia, Fadiga, Doenças Auto-Imunes, Tumores, Doenças Reumáticas, Dores Musculares, Queda da Resistência às Infecções, Alergias, Bronquite, Asma, Rinite Alérgica, Depressão e Insônia. Será que nos adiante, então, não procurar perdoar, embora esquecer, logo de pronto, não nos seja possivel, claro?
O maior benefício do perdão é para quem perdoa. O nosso irmão que nos causou algum dano não está preocupado com o nosso estado emocional, pois já esqueceu há muito tempo o fato que gerou o nosso julgamento e a condenação. Perdoar significa tirar um peso da alma, voltar a ter o controle sobre a própria felicidade, assumir a responsabilidade pelo nosso estado emocional, ter de volta a paz, a serenidade e a saúde. Bom seria se nós não julgássemos e não condenássemos, como ensinou Jesus. Melhor ainda se não nos ofendêssemos por tudo aquilo que contraria o nosso ponto de vista. Teríamos mais saúde e aproveitaríamos bem mais a nossa encarnação.

Joel Beraldo. (Psicanalista e Professor Universitário)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s